Passando pela bacia de Jesus
Texto: João 13.1-11

Amado, reflita comigo: Jesus estava no prelúdio de seu sofrimento, era a última reunião coletiva com seus discípulos. Havia um ar de expectativa tão grande entre eles que se esqueceram da bacia... menos Jesus, é claro. No meio da reunião Jesus se levanta, troca de roupa, pega uma bacia, enche-a de água e começa a lavar-lhes os pés (v.5).
Vamos pensar um pouco nesta bacia de água a fim de descobrirmos seu real significado: a bacia nada mais é do que um receptáculo onde colocamos líquidos, neste caso a água. Se água, na Bíblia, tem como um dos seus significados o poder purificador da palavra de Deus, podemos definir, então, que a bacia de água simboliza todo o poder renovador da palavra de Deus disponível a nós mediante sua graça.

A bacia olhada deste ângulo revela-nos:

1) Purificação diária (v.10): Pedro, ao ser confrontado por Jesus, pede um banho completo (v.9). Jesus responde que quem já se lavou na regeneração (Tt 3.5) só necessita lavar os pés, ou seja, tirar as poeiras da vida. Essa poeira simboliza tudo aquilo que acumulamos desse mundo (sistema maligno), que vem para nos atrapalhar, tais quais os traumas, os maus pensamentos, as influências negativas, e também nossas falhas e pecados. Coisas como essas precisam ser deixadas diariamente na bacia de Jesus.

2) Dependência total (v.8): Jesus disse a Pedro: “Se eu não te lavar, não tens parte comigo”. Ou seja, nossa parte no reino depende da bacia, a freqüência com que passamos pela bacia determinará se temos ou não parte com Jesus. Fazer parte significa ter a salvação, viver a salvação, e desfrutar da salvação diariamente.

3) Oportunidades iguais (v.5-6): Jesus não fez distinção de pessoas, mostrando que todos eram necessitados de uma oportunidade na bacia. Pois nela entrou os pés incrédulos de Tomé (Jo 11.16), vingativos de Tiago e João (Lc 9.51-54), auto-suficientes de Pedro (Lc 22.31-34), fugitivos dos demais apóstolos (Mt 26.56) e até os de Judas (sem resultado, é claro, pois Judas não estava limpo, vivia uma falsa regeneração - v.10-11). Isto mostra que independente de quem somos ou temos, todos somos necessitados de uma oportunidade na bacia de Jesus.

4) Efeitos garantidos (v.1,3,14): Quem passou pela mão de Jesus na bacia experimentou:
A) transparência (v.1,3): as intenções refletiam nas águas da bacia e Jesus sabia de todas. Querido, quando a palavra de Deus atua em nós, refletimos quem somos de verdade.
B) Amor (v.1): Jesus mesmo sabendo os reflexos de cada pé continuou amando-os. O amor de Jesus independe das nossas qualidades e supera os nossos defeitos. Nós, ao descobrirmos as falhas nos afastamos e deixamos de amar. Jesus não: continua amando até o fim.
C) Humildade (v.14): Jesus disse: “se eu, Senhor e Mestre, vos lavei os pés...” Isto revela a humildade de Jesus em trabalhar em nossa vida. Tirar as vestes e cingir-se com uma toalha reflete a humildade de Jesus para nos salvar. Posteriormente Pedro, influenciado por este exemplo, mandou-nos cingir de Humildade (1Pe 5.5).
D) Reciprocidade (v.14): assim como Jesus nos fez, devemos fazer também. Ou seja, levarmos outros à bacia purificadora de Jesus.
Vivamos diariamente este maravilhoso benefício espiritual, e assim sempre teremos parte no reino de Jesus! Amém.

Pr. Adriano Uber de Mello
Dirigente do Setor Cedro

1 comentários:

servi a DEUS é o melhor disse...

pr.gostei da mensagens,quando tiver um tempinho coloca algo sobre a vinda de JESUS temos que concientizar
esse povo que JESUS ESTA VOLTANDO!!!
(ñ sei porque mais o SENHOR tem feito eu pensar muito nisso ultimamente)
abraços seus menbros NEY E LETICIA.